Sobre a Revista

Missão e Escopo

A Revista da CGU é um periódico científico publicado pela Controladoria-Geral da União (CGU), com foco nos seguintes temas: accountability e políticas anticorrupção; controle interno e auditoria pública; governança e riscos; correição e responsabilização administrativa; transparência e controle social; integridade e ética pública; ouvidoria e participação social; prevenção e combate à corrupção; e metodologia de pesquisa aplicada aos referidos temas.

A Revista tem como missão difundir e promover o conhecimento e pesquisa científica sobre os temas acima, sendo seu público-alvo principal formado por pesquisadores, agentes públicos e membros de organizações não governamentais que desenvolvam estudos ou que atuem em políticas ou ações sobre os temas relacionados acima. Nossa prioridade é publicar trabalhos baseados em abordagens inovativas e críticas de cunho teórico, teórico-empírico ou metodológico.

Estamos abertos para submissão de artigos, traduções, resenhas e relatórios de pesquisa em português, inglês e espanhol e nossas políticas editoriais e diretrizes de submissão estão disponíveis nessas três línguas.

Atualmente, a Revista atende aos critérios do estrato B1 podendo chegar ao A4 da classificação de periódicos científicos (Qualis Capes) da área de Administração Pública e de Empresas, Contabilidade e Turismo. Na última avaliação, referente ao quadriênio 2013-2016, a Revista foi classificada no estrato B4. Nossas publicações contam com DOI prefixo 10.36428/revistacgu.

Processo de Avaliação pelos Pares

O Processo de Avaliação pelos Pares é aderente às normas e orientações nacionais e internacionais, em especial às diretrizes e recomendações do Comitê de Ética na Publicação - COPE e da Comissão de Integridade de Pesquisa do CNPq e as Boas Práticas da Publicação Científica da ANPAD (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração).

Nossas Diretrizes para Autores e Ética da Publicação apresentam orientações para submissão e afirmam o comprometimento da Revista da CGU com padrões éticos e valores do campo científico para atuação dos autores, editores e revisores e garantia da qualidade dos trabalhos publicados.

O Processo de Avaliação é iniciado com o recebimento das contribuições que são analisadas inicialmente pelo editor responsável em desk review, que considera sua relevância frente ao Missão e Escopo. Neste estágio, os editores podem rejeitar contribuições que não estejam próximas às fronteiras teóricas e empíricas da revista ou que não respeitem os princípios e orientações básicas da comunicação acadêmica responsável.

Na próxima etapa, dois revisores realizam a revisão duplo-cega. Esses revisores avaliam as contribuições e fazem comentários e recomendações para melhoria. Esse estágio resulta na aprovação, aprovação com mudanças ou rejeição. Nos casos em que não há consenso entre os avaliadores, uma terceira análise será feita.

Após a aprovação dos editores e revisores, a contribuição passará por um processo de edição de cópias, incluindo verificação da bibliografia, idioma e outras normas. Esta etapa pode envolver esclarecimentos adicionais dos autores. Em seguida, a versão final é enviada aos autores para aprovação formal, após o que nenhuma modificação adicional será aceita. As contribuições serão publicadas em formato eletrônico no site da Revista e repositórios associados.

Periodicidade

A Revista da CGU adota modalidade de publicação continuada.

Nosso planejamento editorial prevê ao menos duas edições ordinárias por ano e ainda edições especiais sobre temas específicos e relevantes.

Política de Acesso Livre

A Revista da CGU adota Política de Acesso Livre, que estabelece que todos os trabalhos aprovados para publicação sejam disponibilizados de forma gratuita e permanente, em sua integralidade e sem a obrigatoriedade de cadastramento prévio.

Viabilizamos o o acesso tanto às edições e quanto a cada um dos trabalhos publicados por meio de endereços eletrônicos e arquivos PDF próprios, disponíveis pelos menus Atual e Arquivos

Desta forma, permite-se a leitura, download, cópia, compartilhamento, impressão, pesquisa ou referenciação dos trabalhos publicados sem a necessidade de permissão prévia dos autores e editores, observada a Declaração de Direitos Autorais desta Revista.

Ética da Publicação

A Revista da CGU se compromete com padrões éticos e valores do campo científico para orientar a atuação dos autores, editores e revisores no Processo de Avaliação pelos Pares e para garantir a qualidade dos trabalhos publicados.

Desta forma, aderimos às normas e melhores práticas nacionais e internacionais, em especial às diretrizes e recomendações do Comitê de Ética na Publicação - COPE e da Comissão de Integridade de Pesquisa do CNPq e as Boas Práticas da Publicação Científica da ANPAD (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração).

Todas as partes envolvidas devem observar as políticas editoriais, padrões éticos e valores do campo científico, cujo descumprimento por levar às hipóteses de Retratação previstas, com destaque ao que se segue:

Para os autores:

  • As contribuições devem apresentar uma discussão objetiva sobre o significado do trabalho de pesquisa, bem como detalhes suficientes e referências que permitam a replicação dos experimentos. Resenhas também devem ser objetivas, compreensivas e levar em conta o estado da arte de forma precisa.
  • Os autores devem garantir que seu trabalho é inteiramente original e que as citações de trabalhos são adequadamente apresentadas. O plágio em todas as suas formas constitui comportamento antiético e é inaceitável. Afirmações dotadas de fraude ou imprecisões também constituem comportamento antiético, sendo inaceitáveis.
  • Os autores não devem submeter contribuições que estejam sob avaliação à consideração de outros periódicos. O autor responsável pela submissão deve garantir que há aceitação completa de todos os coautores sobre a versão final do artigo e de sua submissão para publicação.

Para os editores:

  • A avaliação dos manuscritos deve ser baseada exclusivamente no seu mérito acadêmico. O editor não deve utilizar de informações não publicadas em sua própria pesquisa sem o consentimento expressa dos autores.
  • Os editores devem zelar pela não identificação dos autores pelos revisores e vice-versa. Os editores devem ainda tomar medidas razoáveis e responsivas no caso de reclamações ou dúvidas em relação a um manuscrito submetido ou trabalho publicado.

Para os revisores:

  • Os manuscritos devem ser avaliados como documento de acesso restrito. Informações privilegiadas ou ideias obtidas por meio do duplo-cego devem ser mantidas sob sigilo e não podem ser utilizadas para obtenção de vantagem pessoal.
  • Os revisores não devem aceitar analisar manuscritos com os quais eles possuam qualquer conflito de interesses resultante de relações competitivas, colaborativas ou de outro caráter. Também não devem aceitar analisar manuscritos com informações que identifiquem os autores ou tomar quaisquer medidas voltadas a essa identificação ou de comunicação com os autores. Se um revisor souber que não deve proceder a realização de uma avaliação, deve comunicar prontamente ao editor responsável.
  • As avaliações devem ser conduzidas de forma objetiva e as observações ser formuladas com argumentos claros que às sustentem, de forma que os autores possam aprimorar seus trabalhos. Se um revisor selecionado não se sentir qualificado para realizar a avaliação, deve comunicar prontamente ao editor responsável.

Erratas e Retratações

A Revista poderá publicar erratas ou retratações para registro e correção de falhas ou descumprimentos das regras e padrões previstos na Ética da Publicação, Processo de Avaliação pelos Pares e Diretrizes para Autores, em especial nos seguintes casos:

  • erro humano na coleta e classificação de dados; e
  • conduta intencional, como submissões simultâneas a mais de um periódico, conflito de interesse não declarado, fraude ou manipulação de dados, falha no cumprimento de protocolos de pesquisa, plágio ou “fatiamento” da pesquisa.

As erratas e retratações serão publicadas por meio das edições da Revista, identificando os trabalhos afetados, eventuais responsáveis e motivos.

A Revista não irá retratar trabalhos sem antes noticiar os autores e realizar análise das defesas escritas, se entregues no prazo conferido.

Histórico do periódico

A Revista da CGU foi criada em 2006. Entre 2012 e 2014, não foram publicadas edições. A Revista foi reativada em 2015 com duas edições anuais. Em 2018, passou-se a adotar a modalidade de publicação continuada. A partir de 2020, iniciou-se projeto de aprimoramento de sua governança, gestão e processo editoriais e de busca pela melhoria de seu fator de impacto.