Diagnóstico do Ageism no Serviço Público Brasileiro: A Necessidade de Combater o Preconceito Projetado para o Futuro do Servidor

Autores

  • Sergio Neiva

DOI:

https://doi.org/10.36428/revistadacgu.v13i23.399

Palavras-chave:

ageísmo, discriminação, envelhecimento, profissionalização, governança

Resumo

Amamos os mais velhos em nossas vidas e todos esperamos envelhecer. Esse interesse pessoal precisa ser traduzido em políticas públicas O contexto demográfico brasileiro aponta para um aumento de mão--de-obra envelhecida em curto prazo. A motivação para a condução deste estudo está em refletir e analisar o cenário dos idosos como integrantes da força de trabalho no serviço público brasileiro. Almeja-se identificar as percepções entre os servidores públicos federais com mais de 60 anos em exercício no Poder Executivo e as implicações sobre as diferenças socioeconômicas existentes nessa classe. Para isso, procedeu-se uma pesquisa de campo realizada por meio de entrevistas com servidores nessa faixa etária, além da depuração da base de dados do Sistema Integrado de Administração de Pessoal – Siape – com técnicas de mineração de dados.
Naturalmente, os aspectos socioeconômicos servirão de subsídio para a implementação de uma política de gestão de recursos humanos voltada para essa idade e combate ao ageism. Outrossim, a análise dos dados do Siape indicou que o gênero, a escolaridade, a região do país, o cargo e a remuneração são condicionantes para a implementação de práticas de gestão de idade e, por conseguinte, a profissionalização da força de trabalho de idosos no serviço público.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Referências

BABBIE, E. The Practice of Social Research. Belmont, Califórnia, Estados Unidos: Wadsworth, 2013.

BRESSER-PEREIRA, L. C. O modelo estrutural de gerência pública. Revista de Administração Pública, v. 42, n. 2, p. 391–410, 2008.

BUTLER, R. Dispelling ageism: the cross-cutting intervention. In Annals of the American Academy of Political and Social Science, Michigan, United States, 1989.

CARVALHO, A. S. Gestão de pessoas e envelhecimento: sentido do trabalho para o idoso. In Anais do 33º ENCONTRO DA ANPAD, São Paulo, SP, 2009

CAVAZOTTE, F.; ARAUJO, F.; ABREU, A. Identificação organizacional entre funcionários públicos brasileiros: um estudo no setor cultural. Revista Brasileira de Gestão de Negócios. São Paulo, v. 19, n. 64, 2017.

CEPELLOS, V. M; TONELLI, M. J; ARANHA, F. Envelhecimento nas Organizações: Percepções e Práticas de RH no Brasil. In Anais do 4º Encontro de Gestão de Pessoas e Relação de Trabalho, ANPAD, Brasília, DF, 2013.

CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO, Portal da Transparência. 2019. Disponível em http://www.portaltransparencia.gov.br/origem-dos-dados. Acesso em: 10 jan. 2020.

CRESWELL, J.W. Projeto de Pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e Misto. Porto Alegre: Artmed, 2007.

FREITAS, M. E. Diversidade: uma realidade incômoda. GV Executivo, v. 15, p. 12-15, 2013.

FONTES-FILHO, J. A governança corporativa em empresas estatais brasileiras frente à Lei de Responsabilidade das Estatais (Lei nº 13.303/2016). Revista Do Serviço Público, 69, 209 – 238, 2018.

FONTOURA, Y., S. dos R. Governança Global e Transferência de Política: do Protocolo de Cartagena à Política Nacional de Biossegurança. 2011. Dissertação (Mestrado em Administração) - Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, Brasil.

FUKUYAMA, F. A Construção de Estados. Governo e Organização no Século XXI. Rio de Janeiro, RJ: Rocco, 2004.

HEBER, F. O Diálogo entre Burocracia e Inovação. ANPAD, 1–10, 2014

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Comunicados do IPEA: Tendências Demográficas, n.º 64. 2010. Disponível em

http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=5496. Acesso em: 08 jan. 2020.

IRIGARAY H.; VERGARA, S. Abrindo o Pacote de Gênero. In Anais do 33º Encontro da ANAPD, EnANPAD, São Paulo, SP, 2009.

BRASIL. Lei n. 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais. Brasília, DF. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8112cons.htm. Acesso em: 10 jan. 2020.

BRASIL. Lei n. 10.741, de 1º de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. Brasília, DF. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.741.htm. Acesso em: 10 jan. 2020.

LINS, J.; TONELLI, M. J.; ARANHA, F. J. E. A. Envelhecimento da força de trabalho no Brasil: como as empresas estão se preparando para conviver com equipes, que, em 2040, serão compostas principalmente por profissionais com mais de 45 anos? São Paulo: PricewaterhouseCoopers (PwC) e Fundação Getulio Vargas (FGV), 2013.

MINISTÉRIO DA ECONOMIA. Painel Estatístico de Pessoal. 2019. Disponível em http://www.planejamento.gov.br/assuntos/servidores/painel-estatistico-de-pessoal. Acesso em: 09 jan. 2020.

MIRANDA, T. M de O. Políticas de ação afirmativa em concursos públicos federais: um estudo sobre a lei nº 12.990/2014. 2015. Dissertação (Mestrado em Administração) - Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, Brasil.

NELSON, T. D. Ageism: Stereotyping and prejudice against older adults. Cambridge, Massachusets: MIT Press, 2002.

NEUMAM, W. L. Social Research Methods: qualitative and quantitative approaches. Boston: Pearson, 2011.

OLIVER, C. Strategic Responses to Institutional Processes. Academy of Management, Vol. 16. No, 1, pp. 145-179, 1991.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. Live Longer, Work Longer. Paris, 2006.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. Ageing and Employment Policies. France. Working Better With Age. Paris, 2014.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. Ageing and Employment Policies. Denmark. Working Better With Age. Paris, 2015.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. Ageing and Employment Policies. United States. Working Better With Age and Fighting Unequal Ageing. Paris, 2018.

RAMOS, A. G. Administração e contexto brasileiro: esboço de uma teoria geral da administração. Rio de Janeiro: FGV, 1983.

RICUPERO, R. Profissionalização do servidor público: Requisito para o Desenvolvimento. Revista Do Serviço Público, 45(2), 149 – 153, 2015.

TONELLI, M. J.; PEREIRA J.J; CEPELLOS, V. M.; LINS, J. Envelhecimento nas Organizações: Postura dos Profissionais Maduros e Práticas de Gestão da Idade. In Anais do 42º Encontro da ANPAD, Curitiba, PR, 2018.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2003.

Downloads

Publicado

2021-05-27

Como Citar

Diagnóstico do Ageism no Serviço Público Brasileiro: A Necessidade de Combater o Preconceito Projetado para o Futuro do Servidor. Revista da CGU, [S. l.], v. 13, n. 23, p. 106–120, 2021. DOI: 10.36428/revistadacgu.v13i23.399. Disponível em: https://revista.cgu.gov.br/Revista_da_CGU/article/view/399.. Acesso em: 27 fev. 2024.

Artigos Semelhantes

1-10 de 38

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.