O Farol da Integridade Pública: Um Estudo de Caso sobre o Programa de Integridade da CGU

Autores

  • Dalila Martins VIOL Fundação Getúlio Vargas - FGV-SP

DOI:

https://doi.org/10.36428/revistadacgu.v13i23.349

Palavras-chave:

corrupção, integridade pública, programas de integridade, institucionalismo organizacional, CGU

Resumo

O artigo analisa a institucionalização do programa de integridade, o qual é uma estratégia de combate à corrupção, da Controladoria-Geral da União (CGU). Trata-se de artigo decorrente de pesquisa qualitativa, por meio de estudo de caso, cujo referencial teórico é o novo institucionalismo, especialmente Tolbert e Zucker (1999). Como técnicas de coleta de dados utilizou-se levantamento bibliográfico e documental, bem como entrevistas semiestruturadas com servidores da CGU.  Identificou-se que a adoção do programa de integridade pela CGU foi influenciada por fatores externos como o acirramento das discussões em torno da corrupção, as legislações promulgadas nesse âmbito, inclusive acordos multilaterais além da pressão social e dos efeitos da Operação Lava Jato, inclusive sobre a imagem e reputação da organização estudada. Ademais, constatou-se que a CGU se encontra na etapa intermediária do processo de institucionalização do seu programa de integridade e refletiu-se sobre os desafios que o órgão possui para alcançar resultados contra a corrupção por meio desse programa, assim como para atingir a posição almejada de indutor da integridade pública no País.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUIAR, Ítalo C.; LESSA, Bruno S.; MARINO, Pedro B. L. P.; BRAGA, Danielle S. G.; CABRAL, Augusto César A.; SANTOS, Sandra Maria D. The institutionalization process of the support program for exchange students from The Federal University of Ceará. Revista Alcance, v. 22, n. 3, p. 379-393, 2015.

ALBRES, Hevellyn. Programas de Integridade na Administração Pública Federal Direta. In: FIGUEIREDO, Fabiana V. D. de (Org.). Temas específicos de compliance. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2019. p. 31-50.

ALMEIDA, Graziela M. A.; BORGES, Rafael J.; VIEIRA, Saulo F. A. Processo de institucionalização da pesquisa com Pinhão-manso: um estudo na Embrapa - DF. Revista Eletrônica de Administração e Turismo, v. 10, n. 5, p. 1245-1266, jan./jun. 2017.

ANECHIARICO, Frank La corrupción y el control de la corrupción como impedimentos para la competitividad económica. Gestión y política pública, v. 19, n. 2, p. 239–261, 2010.

ARANHA, Ana L.; FILGUEIRAS, Fernando. Instituições de accountability no Brasil: mudança institucional, incrementalismo e ecologia processual. Enap, 2016.

BARBOSA, Renata V. do N.; WANDERLEY, Cláudio de A.; SOEIRO, Tiago de M. Institucionalização dos mecanismos de controle gerencial no relacionamento interorganizacional de uma empresa do setor elétrico. Revista Universo Contábil, v. 13, n. 3, p. 29-49, jul./set. 2017.

BATISTA JÚNIOR, Onofre A.; CAMPOS, Sarah. A Administração Pública consensual na modernidade líquida. Fórum Administrativo, ano 14, n. 155, p. 31-43, jan. 2014.

BOTELHO, Louise L. R.; CUNHA, Cristiano C.de A.; MACEDO, Marcelo. O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e Sociedade, v. 5, n. 11, p. 121-136, 2011.

BRASIL. Decreto nº 3.678, de 30 de novembro de 2000. Promulga a Convenção sobre o Combate da Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em Transações Comerciais Internacionais, concluída em Paris, em 17 de dezembro de 1997. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D3678.htm. Acesso em: 20 set. 2019.

BRASIL. Decreto nº 4.410, de 7 de outubro de 2002. Promulga a Convenção Interamericana contra a Corrupção, de 29 de março de 1996, com reserva para o art. XI, parágrafo 1o, inciso "c". Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2002/D4410.htm. Acesso em: 20 set. 2019.

BRASIL. Lei nº 10.683, de 28 de maio de 2003. Dispõe sobre a organização da Presidência da República e dos Ministérios, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.683.htm. Acesso em: 20 set. 2019.

BRASIL. Decreto nº 5.683, de 24 de janeiro de 2006. Aprova a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções Gratificadas da Controladoria-Geral da União, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Decreto/D8109.htm. Acesso em: 20 set. 2019.

BRASIL. Decreto nº 5.687, de 31 de janeiro de 2006. Promulga a Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção, adotada pela Assembleia-Geral das Nações Unidas em 31 de outubro de 2003 e assinada pelo Brasil em 9 de dezembro de 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Decreto/D5687.htm. Acesso em: 20 set. 2019.

BRASIL. Lei nº 12.846, de 1º de agosto de 2013. Dispõe sobre a responsabilização administrativa e civil de pessoas jurídicas pela prática de atos contra a administração pública, nacional ou estrangeira, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Lei/L12846.htm. Acesso em: 20 set. 2019.

BRASIL. Decreto nº 8.109, de 17 de setembro de 2013. Aprova a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções Gratificadas da Controladoria-Geral da União e remaneja cargos em comissão. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Decreto/D5683.htm. Acesso em: 20 set. 2019.

BRASIL. Decreto nº 8.420, de 18 de março de 2015. Regulamenta a Lei nº 12.846, de 1º de agosto de 2013, que dispõe sobre a responsabilização administrativa de pessoas jurídicas pela prática de atos contra a administração pública, nacional ou estrangeira e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Decreto/D8420.htm. Acesso em: 20 set. 2019.

BRASIL. Portaria nº 750, de 20 de abril de 2016. Institui o Programa de Integridade da Controladoria-Geral da União. Disponível em: https://repositorio.cgu.gov.br/handle/1/41669. Acesso em: 20 set. 2019.

BRASIL. Portaria nº 784, de 28 de abril de 2016. Institui o Programa de Fomento à Integridade Pública da Controladoria-Geral da União, para a administração pública, autárquica e fundacional do Poder Executivo Federal. Disponível em: http://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/21512003/do1-2016-04-29-portaria-n-784-de-28-de-abril-de-2016-21511887. Acesso em: 20 set. 2019.

BRASIL. Instrução normativa conjunta nº 1, de 10 de maio de 2016. Dispõe sobre controles internos, gestão de riscos e governança no âmbito do Poder Executivo federal. Disponível em: http://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/21519355/do1-2016-05-11-instrucao-normativa-conjunta-n-1-de-10-de-maio-de-2016-21519197. Acesso em: 20 set. 2019.

BRASIL. Portaria nº 1.827, de 23 de agosto de 2017. Institui o Programa de Fomento à Integridade Pública -Profip do Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União, para órgãos e entidades do Poder Executivo Federal. Disponível em: http://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/19275686/do1-2017-09-04-portaria-n-1-827-de-23-de-agosto-de-2017-19275587. Acesso em: 20 set. 2019.

BRASIL. Decreto nº 9.203, de 22 de novembro de 2017. Dispõe sobre a política de governança da administração pública federal direta, autárquica e fundacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/decreto/D9203.htm. Acesso em: 20 set. 2019.

BRASIL. Portaria nº 1.075, de 23 de abril de 2018. Aprova o Plano de Integridade do Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União. Disponível em: https://www.gov.br/cgu/pt-br/acesso-a-informacao/governanca/programa-de-integridade-da-cgu/arquivos/portaria-1750-2018.pdf. Acesso em: 20 set. 2019.

BRASIL. Portaria nº 1.089, de 25 de abril de 2018. Estabelece orientações para que os órgãos e as entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional adotem procedimentos para a estruturação, a execução e o monitoramento de seus programas de integridade e dá outras providências. Disponível em: http://www.in.gov.br/web/guest/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/11984199/do1-2018-04-26-portaria-n-1-089-de-25-de-abril-de-2018-11984195. Acesso em: 20 set. 2019.

BRASIL. Portaria nº 57, de 4 de janeiro de 2019. Altera a Portaria CGU nº 1.089, de 25 de abril de 2018, que estabelece orientações para que os órgãos e as entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional adotem procedimentos para a estruturação, a execução e o monitoramento de seus programas de integridade e dá outras providências. Disponível em: http://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/58029864/do1-2019-01-07-portaria-n-57-de-4-de-janeiro-de-2019-58029797. Acesso em: 20 set. 2019.

CARVALHO, Laura. Valsa Brasileira: do boom ao caos econômico. São Paulo: Todavia, 2018.

CARVALHO, Cristina A.; VIEIRA, Marcelo M. F.; GOULART, Sueli. A trajetória conservadora da teoria institucional. Revista de Administração Pública, n. 39, v. 4, p. 849-874, jul./ago. 2005.

CASTRO, Rodrigo P. A. de; ZILIOTTO, Mirela M. Compliance e a lógica do controle interno prevista no artigo 70 da Constituição da República de 1988: trinta anos de atualidade. In: DI PIETRO, Maria Sylvia Z.; MOTTA, Fabrício e (org.). O Direito Administrativo nos 30 anos da Constituição. Belo Horizonte: Fórum, 2018. p. 267-280.

CASTRO, Rodrigo P. A. de; ZILIOTTO, Mirela M. Compliance nas contratações públicas. Belo Horizonte: Fórum, 2019.

CGU. Controladoria-Geral da União. Guia de Integridade Pública, 2015. Disponível em: https://www.gov.br/cgu/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/integridade/arquivos/guia-de-integridade-publica.pdf. Acesso em: 20 set. 2019.

CGU. Controladoria-Geral da União. Manual para Implementação de Programas de Integridade, 2017. Disponível em: https://www.gov.br/cgu/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/integridade/arquivos/manual_profip.pdf. Acesso em: 20 set. 2019.

CGU. Controladoria-Geral da União. Guia Prático de Implementação de Programa de Integridade Pública, 2018a. Disponível em: https://www.gov.br/cgu/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/integridade/arquivos/manual-gestao-de-riscos.pdf. Acesso em: 20 set. 2019.

CGU. Controladoria-Geral da União. Guia Prático de Gestão de Riscos para a Integridade, 2018b. Disponível em: https://www.gov.br/cgu/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/integridade/arquivos/manual-gestao-de-riscos.pdf. Acesso em: 20 set. 2019.

CGU. Controladoria-Geral da União. Empresa Pró-Ética. Disponível em: http://www.cgu.gov.br/assuntos/etica-e-integridade/empresa-pro-etica/historico. Acesso em: 20 set. 2019a.

CGU. Controladoria-Geral da União. Histórico. Disponível em: https://www.cgu.gov.br/sobre/institucional/historico/historico. Acesso em: 20 set. 2019b.

CGU. Controladoria-Geral da União. Mapa Estratégico - Missão, Visão e Valores. Disponível: https://www.gov.br/cgu/pt-br/acesso-a-informacao/governanca/planejamento-estrategico/imagens/mapaestratgico.png/view. Acesso em: 20 set. 2019c.

CGU. Controladoria-Geral da União. Plano de Integridade CGU. Disponível em: https://www.cgu.gov.br/sobre/governanca/programa-de-integridade-da-cgu/arquivos/plano-de-integridade-cgu.pdf. Acesso em: 20 set. 2019d.

CGU. Controladoria-Geral da União. Ouvidoria. Disponível em: https://www.gov.br/cgu/pt-br/assuntos/ouvidoria. Acesso em: 20 set. 2019e.

CGU. Controladoria-Geral da União. Programa de Integridade da CGU. Disponível em: https://www.gov.br/cgu/pt-br/assuntos/ouvidoria. Acesso em: 20 set. 2019f.

CGU. Controladoria-Geral da União. Painel Integridade Pública. Disponível em: http://paineis.cgu.gov.br/integridadepublica/index.htm. Acesso em: 29 fev. 2020a.

CGU. Controladoria-Geral da União. SeCI. Disponível em: https://seci.cgu.gov.br/SeCI/Login/Externo.aspx?ReturnUrl=/SeCI/. Acesso em: 29 fev. 2020b.

CGU. Controladoria-Geral da União. Coleção Programa de Integridade. Disponível em: https://www.gov.br/cgu/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/integridade/colecao-programa-de-integridade. Acesso em: 29 fev. 2020c.

CRESWELL, John W. Investigação qualitativa e projeto de pesquisa: escolhendo entre cinco abordagens. Porto Alegre: Penso, 2014.

DEAKIN, Simon; GINDIS, David; HODGSON, Geoffrey; KAINAN, Huang; PISTOR, Katharina. Legal institutionalism: capitalism and the constitutive role of law. Journal of Comparative Economics, v. 45, n. 1, fev. 2017.

DiMAGGIO, Paul J., POWELL, Walter W. The new institutionalism in organizational analysis. Chicago: The University of Chicago Press, 1991.

DOJ - Department of Justice. Evaluation of Corporate Compliance Programs, 2020 Disponível em: https://www.justice.gov/criminal-fraud/page/file/937501/download. Acesso em: 10. jun. 2020.

FISS, Peer C. Institutions and Corporate Governance. In: GREENWOOD, Royston; OLIVER, Christine; SUDDABY Roy; SAHLIN, Kerstin (Ed). The SAGE Handbook of Organizational Institutionalism. London: SAGE, 2008. p. 389-410.

FORTINI, Cristiana. Programas de Integridade e a Lei Anticorrupção. In:

PAULA, Marco Aurélio B. de; CASTRO, Rodrigo Pironti A. de (Coord.) Compliance, gestão de risco e combate à corrupção: integridade para o desenvolvimento. Belo Horizonte: Fórum, 2018. p. 193-201.

GARCIA, Leice Maria; TEODÓSIO, Armindo dos Santos de Sousa. Análise de limites dos sistemas de contabilidade e controle para o enfretamento do problema da corrupção sistêmica no Brasil: lições dos casos da Suécia e da Itália. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 54, n. 1, p. 79-98, jan. 2020.

HEYWOOD, Paul; ROSE, Jonathan. Curbing corruption or promoting integrity? Probing the hidden conceptual challenge. In: HARDI, Peter; HEYWOOD, Paul.; TORSELLO, Davide (Ed.). Debates of Corruption and Integrity: Perspectives from Europe and the US. London: Palgrave Macmillan, 2015. p.102-119.

INTERNATIONAL STANDARD. ISO 19600:2014(E): Compliance management systems - Guidelines. Disponível em: https://portaldagestaoderiscos.com/wp-content/uploads/2017/12/ISO_19600_2014en.pdf. Acesso em: 13 nov. 2019.

LATINOBARÓMETRO. Informe 2018. Disponível em: http://www.latinobarometro.org/latContents.jsp. Acesso em: 13 jun. 2020.

LOUREIRO, Maria R.; ABRUCIO, Fernando Luiz; OLIVIERI, Cecília; TEIXEIRA, Marco Antônio. C. Do controle interno ao controle social: a múltipla atuação da CGU na democracia brasileira. Cadernos Gestão Pública e Cidadania, v. 17, n. 60, p. 54-67, 2012.

MACHADO, Maíra R.; PASCHOAL, Bruno. Monitorar, investigar, responsabilizar e sancionar: a multiplicidade institucional em casos de corrupção. Novos Estudos CEBRAP, São Paulo, v. 35, n. 1, p. 11-36, mar. 2016.

MARCUS, Bernd; WEIGELT, Oliver; HERGERT, Jane; GURT, Jochen; GELLÉRI, Petra. The use of snowball sampling for multisource organizational research: Some cause for concern. Personnel Psychology, v. 70, n. 3, p. 635-673, 2017.

MÉON, Pierre-Guillaume; SEKKAT, Khalid. Does corruption grease or sand the wheels of growth. Public Choice, v. 122, p. 69–97, 2005.

MEYER, John; ROWAN, Brian. Institutionalized organizations: formal structures as myth and ceremony. American Journal of Sociology, v. 83, n. 2, p. 340-363, 1977.

MIRANDA, Rodrigo F. de A. Implementando a Gestão de Risco no Setor Público. Belo Horizonte: Fórum, 2017.

NASCIMENTO, Juliana O. Panorama internacional e brasileiro da governança, riscos, controles internos e compliance no setor público. In: PAULA, Marco Aurélio B. de; CASTRO, Rodrigo P. A. de (Coord.). Compliance, Gestão de Risco e Combate à Corrupção: integridade para o desenvolvimento. Belo Horizonte: Fórum, 2018. p. 343-371.

NOHARA, Irene Patrícia. Governança pública e gestão de riscos: transformações no direito administrativo. In: PAULA, Marco Aurélio B. de; CASTRO, Rodrigo P. A. de (Coord.) Compliance, gestão de risco e combate à corrupção: integridade para o desenvolvimento. Belo Horizonte: Fórum, 2018, p. 327-342.

OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Recomendação do Conselho da OCDE sobre Integridade Pública, 2018. Disponível em: https://www.oecd.org/gov/ethics/integrity-recommendation-brazilian-portuguese.pdf. Acesso em: 20 set. 2019.

OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. OECD Public Integrity Handbook, 2020. Disponível em: http://www.oecd.org/corruption-integrity/reports/oecd-public-integrity-handbook-ac8ed8e8-en.html. Acesso em: 20 jun. 2020.

OLIVEIRA JÚNIOR, Temístocles M.; COSTA, Frederico J. L.; MENDES, Arnaldo Paulo. Perspectivas teóricas da corrupção no campo da Administração Pública brasileira: características, limites e alternativas. Revista do Serviço Público, n. 67 (Ed. Especial), p. 111-137, 2016.

PECI, Alketa; VIEIRA, Marcelo, M. F.; CLEGG, Stewart R. A construção do “real” e práticas discursivas: o poder nos processos de institucionaliz(ação). Revista de Administração Contemporânea, v. 10, n. 3, p. 51-71, jul./set. 2006.

PECI, Alketa. A Nova Teoria Institucional em Estudos Organizacionais: uma abordagem crítica. Cadernos EBAPE, v. 4, n. 1, p. 1-12, mar. 2006.

PEREIRA, Fernando. A evolução da teoria institucional nos estudos organizacionais: um campo de pesquisa a ser explorado. Revista Organizações em Contexto, v. 8, n. 16, p. 275-295, 2012.

PETTIT, Philip. Republicanism: a theory of freedom and government. NY; Oxford University Press, 1997.

PUTNAM, Robert. Making Democracy Work. Princeton, N.J.: Princeton University Press, 1993.

RIBEIRO, Érica B. Q.; MACHADO, Bruno A.. A evolução identitária da Controladoria-Geral da União: polifonia e decisões em políticas de transparência e acesso à informação. Revista Brasileira de Políticas Públicas, v. 10, n. 1, 2020.

ROSE-ACKERMAN, S. Introduction: The Role of International Actors in Fighting Corruption. In: Rose-Ackerman, S.; Carrington, P. D. Anti-Corruption Policy: Can International Actors Play a Constructive Role? Carolina Academic Press, 2014. Chapter 1.

ROSE-ACKERMAN, Susan; PALIFKA, Bonnie. J. Corruption and government: causes, consequences, and reform. Cambridge University Press, 2016.

SADEK, Maria T. A. Combate à corrupção: novos tempos. Revista da CGU. Brasília, v. 2, n. 20, p. 1276-1283, 2019.

SELZNICK, Philip. Institutionalism ‘old’ and ‘new’. Administrative Science Quarterly, v. 41, n. 2, p. 270-277, 1996.

SCOTT, Walter R. Institutions and organizations: ideas, interests and identities. Thousand Oaks, CA: Sage, 2014.

TOLBERT, Pamela; ZUCKER, Lynne. A institucionalização da teoria institucional. In: CLEGG, Stewart R.; HARDY, Cynthia; NORD, Walter R. (Org.). Handbook de estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 1999. v. 1, p. 196-219.

TRANSPARÊNCIA INTERNACIONAL. Glossário Anticorrupção. Disponível em: https://www.transparency.org/glossary/term/integrity. Acesso em 20 set. 2019.

Downloads

Publicado

2021-05-27

Edição

Seção

Controle Governamental, Prevenção e Combate da Corrupção